A Lusofonia de Luto
JOSÉ AUGUSTO SEABRA

Morreu a 27 de Maio de 2004

Poeta, ensaísta, crítico, professor universitário e diplomata português, membro das Irmandades da Fala da Galiza e Portugal, da Comissão Galega do Acordo Ortográfico e do conselho consultivo da revista da lusofonia NÓS.

Catedrático da Universidade do Porto, com a orientação de Roland Barthes defendeu a sua tese de doutoramento na Sorbonne (1971) sobre Fernando Pessoa, cujos restos transladou para o Mosteiro dos Jerónimos aquando era Ministro de Educação. Seguidor de Roland Barthes, seu mestre, tinha formado muitos professores em estudos pessoanos e barthesianos. Foi fundador do Centro de Estudos Pessoanos e do Centro de Estudos Semióticos e Literários, sendo Director da Revista “Nova Renascença”. Não há muito tempo deu aulas a alunos de Português na Universidade de Santiago.

Opositor ao regime de Salazar, foi preso e condenado por motivos políticos, tendo de exilar-se em Paris e só regressando a Portugal depois do 25 de Abril de 1974. Deputado à Assembleia Constituinte e à Assembleia da República, foi Ministro da Educação do IX Governo Constitucional (1983-1984). Foi embaixador de Portugal junto da UNESCO e também em Nova Delhi, Bucareste e Buenos Aires.

Republicano ligado ao Círculo Sampaio Bruno, coincidia com os desejos de moralização dos Círculos Republicanos Lusófonos que preside o Dr. J. L. Fontenla. Os galegos não esquecerão este defensor da lusofonia da Galiza em todos os quadrantes do mundo que andou. Fundador do Centro de Estudos Republicanos, foi co-autor do Manifesto Cívico pela Moralização da República, texto apresentado oficialmente no Ateneu Comercial do Porto no dia 31 de Janeiro de 2003, e no dia 21 de Março no Café Teatro em Viana do Castelo.

A lusofonia está de luto com a sua falta - manifestou o Presidente das Irmandades da Fala e Director da revista NÓS Dr. José Luís Fontenla, quem acrescentou que Seabra sempre defendeu a lusofonia da Galiza e a aproximação luso-galaica, mandando dedicar a revista NOVA RENASCENÇA núm. 72/73 de 1999 em "Homenagem à Galiza", o que coordenou o prof. Luís Soto da Univ. de Santiago. O texto foi apresentado em 19 de Novembro de 2003 na Livraria Sargadelos de Santiago de Compostela, junto com o volume dedicado a Teixeira de Pascoaes (núm.64-66 Inverno/Verão de 1997).


Ler ainda: